É com prazer que anuncio a possibilidade de integrar o facebook ao forum. Estamos sempre buscando formas de melhorar o site. Administração

    Pokemon Stadium 2

    Compartilhe
    avatar
    badchrono
    LV 9
    LV 9

    Mensagens : 334
    Data de inscrição : 09/10/2009

    Ficha do personagem
    RPG: 20

    Pokemon Stadium 2

    Mensagem por badchrono em Sab Jul 02, 2011 5:34 pm


    A partir do momento em que os monstrinhos de bolso mais famosos de todos os tempos surgiram, uma era havia nascido com eles. Milhares e milhares de gamers ao redor do globo se apaixonaram por toda a interação que Pikachu e sua turma trouxeram, mas quando eles apareceram pela primeira vez na tela grande da sala de sua casa, todo aquele vício frenético de “temos que pegar todos” apenas aumentam consideravelmente. O ápice foi com a sequência de Pokémon Stadium, que não apenas evoluiu de seu antecessor, mas trouxe mais conteúdo e uma nova corrida pelas locadoras de games das grandes cidades. Isso, caro leitor, se chama febre pokémon.

    No ano de 2001 chegava às lojas e locadoras um dos últimos grandes games de Nintendo 64. Pokémon Stadium 2 reunia todos os 251 monstrinhos lançados até então. Os gamers foram a loucura com a novidade, pois muitos acreditavam que o N64 estava com seus dias contados. Também, o game dava uma sobrevida às fitas de Game Boy e Game Boy Color que cada vez mais se tornavam esquecidas nas estantes. Com a utilização do acessório Transfer Pak – que permitia a transferência de pokémons das versões portáteis para o console e, também, dava a chance de se jogar todos esses games via Nintendo 64 – a experiência aumentava e trazia novas oportunidades aos gamers.


    Para os que não possuíam as versões red, blue, yellow, silver, gold e crystal, Pokémon Stadium 2 também podia ser jogado usando os “rental pokémons” – monstrinhos pré-definidos prontos para a batalha. Mesmo isso limitando as muitas estratégias e possibilidades do game, também dava a oportunidade de qualquer um se divertir com as muitas batalhas oferecidas.
    Os modos de jogo variavam pouco entre si. O freeplay dava a chance dos gamers passarem direto para o quebra-pau em batalhas com muitas regras diferentes, o modo Stadium era algo como um modo campeonato onde o treinador pokémon deveria derrotar vários outros treinadores para se campeão das muitas taças, o Gym Leader Castle era quase como um modo história one você deveria enfrentar os líderes de gínasio para se consagrar campeão e enfrentar a elite four, no modo Game Boy Tower o gamer poderia desfrutar das versões portáteis diretamente em seu 64, e haviam 12 minigames – cada um baseado em algum pokémon - que divertiam até aqueles que não entendiam nada das batalhas entre um Celebi e um Lugia.


    As semelhanças entre o primeiro game e este são muitas. Basicamente, tudo é igual. A parte gráfica foi pouco aprimorada, o narrador bacana continuava lá, a jogabilidade simplista funcionava como sempre, os efeitos sonoros – principalmente as “vozes” dos pokémons – eram apenas funcionais, nada inovador, mas nada irritante. O principal destaque era mesmo os novos pokémons, quem aí se lembra de ver o tão imponente Steelix pela primeira vez? Era um sorriso na certa.


    As qualidades de Stadium 2 não se limitavam às mesmas que do anterior. Muitos gamers se divertiam sem nem ter os games portáteis, eles alugavam a fita e passavam a tarde tentando derrotar os gym leader ou os amigos em longas batalhas. Muitos não entendiam as estratégias, por isso pegavam apenas aqueles pokémons que achavam mais legais ou mais fortes. Scizor, Charizard, Feraligatr, Lugia, Raichu, esses alguns dos mais escolhidos, enquanto que Caterpie, Togetic, Girafarig e Delibird eram mais ignorados. O mais bacana era que cada gamer tinha (e ainda tem) o seu tipo preferido de monstrinhos, e isso era refletido nas batalhas.


    Mesmo não obtendo o sucesso esperado de vendas, Pokémon Stadium 2 foi um sucesso entre os fãs. Até hoje há aquele gamer que mantém sua fita guardada, com aquela caixa brilhante com o Lugia e o Ho-oh na caixa, e que às vezes a pega para jogar algumas partidas de mini-games ou para tirar o pó da sua versão silver.
    Até hoje, qualquer game de Pikachu e cia lançado para consoles caseiros é instantaneamente comparado com Stadium 2, e, convenhamos, nenhum conseguiu superar essa comparação…

    Né, Battle Revolution?

    Fonte: http://www.nintendoblast.com.br/2011/06/blast-from-past-pokemon-stadium-2-n64.html

      Data/hora atual: Qua Dez 13, 2017 11:25 pm